Se inscreva no canal do Telegram
Pesquisar
Close this search box.

Netflix: Sombras da Vida

Com Rooney Mara no elenco, sucesso do Festival de Sundance chega na Netflix.
Compartilhe:

Para receber todas as novidades, se inscreva no canal do Telegram

“Sou ateu, não acredito na vida após a morte, mas acredito em fantasmas,” disse o diretor americano David Lowery, durante uma entrevista. “Sombras da Vida”, o quarto longa-metragem de sua carreira, começa com uma citação do conto “Casa Assombrada”, da escritora inglesa Virginia Woolf. Sua escrita corresponde perfeitamente à visão que Lowery tem dos fantasmas e de sua relação com a vida e o tempo.

Sucesso no Festival de Sundance de 2017, “Sombras da Vida” foi comparado com “uma refilmagem de ‘Os Fantasmas se Divertem’ feita por Apichatpong Weerasethakul”, o diretor tailandês que venceu a Palma de Ouro em Cannes com o introspectivo “Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas” (2010) – ou seja, apesar do fantasma (caracterizado com um tradicional e expressivo lençol furado nos olhos), não se trata de um filme de gênero.

Em “Sombras da Vida”, Lowery volta a trabalhar com Casey Affleck e Rooney Mara, protagonistas também de “Amor Fora da Lei” (2013), outro queridinho de Sundance. Após um acidente fatal, o espírito de Affleck vaga pela casa onde costumava viver, testemunhando a passagem do tempo e o luto de sua viúva (Mara). Em uma cena de cinco minutos de duração, ela devora uma torta inteira de tanta tristeza (durante a pandemia, todos nós já passamos por algo assim).

Sob o selo da produtora A24, com a trilha poética de Daniel Hart e a bela fotografia de Andrew Droz Palermo, “Sombras da Vida” reflete o amor, o tempo e a dissolução inevitável de todas as coisas, o significado de nossa existência e de nossa mortalidade. Graças ao coronavírus, “vai passar” se tornou o lema de 2020 e parece ser também o tema deste filme melancólico de 2017, que já está disponível na Netflix.

*

Para que o site não bata as botas, por favor, colabore com apenas R$5 no Apoia-se!

Tags:

Leia também:

Baseado em livro de Iain Reid, Charlie Kaufman assina o roteiro e a direção de nova produção da Netflix.
Documentário da Netflix retrata romance lésbico de mais de 70 anos.
Faroeste de Paul Greengrass traz Tom Hanks em papel ambíguo.
Novo filme de Spike Lee discute a participação negra na guerra do Vietnã.